Centrífuga de Bancada

Uma centrífuga de bancada em um laboratório é usada para separar componentes de uma mistura, geralmente líquidos e partículas suspensas, através da aplicação de força centrífuga. Este processo é essencial em diversas aplicações laboratoriais. Aqui estão algumas funções principais de uma centrífuga de bancada:

  1. Separação de Células Sanguíneas e Plasma: No campo da medicina,  a centrífuga de bancada é frequentemente utilizada para separar o plasma sanguíneo das células sanguíneas, permitindo análises e testes específicos.
  2. Purificação de Amostras: Em biologia molecular e bioquímica, é usada para purificar DNA, RNA ou proteínas, removendo impurezas ou concentrando a amostra.
  3. Microbiologia: Ajuda na separação de micro-organismos do meio líquido, facilitando estudos e análises.
  4. Pesquisa Científica: Auxilia em diversos experimentos científicos, como a separação de diferentes fases em uma emulsão ou a precipitação de compostos.
  5. Preparação de Amostras: Em química analítica, é usada para preparar amostras para análise, removendo partículas sólidas ou concentrando soluções.

O princípio básico por trás da centrífuga de bancada é a força centrífuga, que move as partículas ou componentes mais densos para a periferia do tubo de centrífuga, enquanto os menos densos permanecem mais próximos ao centro. A velocidade e o tempo de centrifugação podem variar dependendo do tipo de amostra e do objetivo da separação.

Escolher uma centrífuga de bancada adequada para um laboratório envolve considerar vários fatores para garantir que ela atenda às necessidades específicas das suas aplicações. Aqui estão alguns critérios importantes a considerar:

  1. Capacidade e Tamanho: Avalie o volume e o número de amostras que você pretende processar regularmente. Centrífugas estão disponíveis em diferentes capacidades, desde pequenas unidades para microtubos até modelos maiores que podem acomodar tubos de vários tamanhos.
  2. Velocidade e Força G: A velocidade (RPM) e a força centrífuga relativa (RCF) são cruciais. Diferentes aplicações exigem diferentes níveis de força G. Verifique se a centrífuga pode alcançar as forças G necessárias para suas aplicações.
  3. Tipos de Rotor: Existem rotors fixos e rotors angulares. O tipo de rotor afeta a separação das amostras. Escolha com base no tipo de amostra que você estará processando e na separação que precisa ser alcançada.
  4. Temperatura: Algumas amostras, especialmente biomoleculares, podem precisar de refrigeração durante a centrifugação. Nesse caso, uma centrífuga com controle de temperatura seria necessária.

Dúvidas sobre centrífuga de bancada? Entre em contato com nossa equipe.