Compartilhe esse conteúdo:

 

Em 2017, a Canastra levou três pratas no Salão Internacional do Queijo, na França.

A área de Microbiologia de Alimentos engloba estudos relativos aos micro-organismos importantes para garantia da inocuidade dos alimentos, bem como sua vida útil, processamento de produtos tradicionais e desenvolvimento de novos produtos alimentícios, com atributos sensoriais adequados a diferentes públicos consumidores. Destaca-se ainda o desenvolvimento de produtos com alegações funcionais e de promoção da saúde, como os probióticos e prebióticos.

A formação do Microbiologista de Alimentos pode iniciar-se em cursos técnicos de nível médio (por exemplo, Nutrição, Patologia, Química, entre outros) ou mais comumente, na graduação, em cursos da área de alimentos e tecnologia (Engenharia de Alimentos, Ciência dos Alimentos, Biotecnologia, química), de saúde ou biológicas (Farmácia, Biomedicina, Ciências Biológicas, Nutrição, Medicina Veterinária e Zootecnia, entre outros).

Se não forem fabricados sob condições sanitárias adequadas, os queijos artesanais produzidos com leite cru ou pasteurizado no Brasil, como os queijos minas frescal e o curado, são suscetíveis à contaminação por bactérias causadoras de doenças, como a Listeria monocytogenes.

Uma pesquisa de pós-doutorado feita pela pesquisadora Fernanda Bovo Campagnollo na Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com Bolsa da FAPESP, sob orientação do professor Anderson de Souza Sant’Ana, resultou em uma solução que pode auxiliar os produtores de queijos artesanais a garantir a segurança dos produtos e atender a uma regulamentação federal sobre a maturação de queijos curados.

Os pesquisadores conseguiram selecionar cepas de bactérias lácticas capazes de inibir o crescimento da Listeria no queijo minas frescal, além de inativar a bactéria e diminuir o tempo de maturação do queijo curado. Os resultados do estudo foram publicados na revista Food Microbiology

Segundo os pesquisadores , devido às suas características físico-químicas, o queijo minas frescal é bastante propício à multiplicação da Listeria – causadora de uma infecção, chamada listeriose, com alto índice de mortalidade.

“O queijo minas frescal apresenta umidade relativamente alta e baixo conteúdo de sal e, mesmo armazenado sob refrigeração, não está imune à proliferação de Listeria”, explicou Campagnollo.

Já no queijo minas curado, que ao contrário do minas frescal apresenta menor quantidade de água e maior teor de sal, a bactéria também pode proliferar durante o período de maturação do produto.

A determinação de umidade em alimentos é fundamental, pode interferir na qualidade, armazenamento e processamento dos alimentos. Alimentos com alta umidade sofrem rápida deterioração.

analisador de umidade é o equipamento ideal para a determinação de umidade em alimentos, solos, cimento…

 

Participe do nosso blog, envie seu comentário, dúvida ou sugestão.

AVISO DE DIREITOS AUTORAIS: Todo o material deste blog, sendo proibida toda e qualquer forma de plágio, cópia, reprodução ou qualquer outra forma de uso.
Qualquer dúvida técnica sobre os equipamentos contidos no portfólio SPLABOR, entre em contato com o Departamento de Vendas ([email protected])

Fonte https://sbmicrobiologia.org.br/areas/microbiologia-de-alimentos/

http://agencia.fapesp.br/bacterias-aumentam-a-seguranca-no-consumo-de-queijos-artesanais/27951/