Compartilhe esse conteúdo:

Um dos aspectos de grande importância ao se analisar a qualidade da água é a medição do oxigênio dissolvido existente nela. Ao determinarmos qual a quantidade de oxigênio dissolvido na água poderemos avaliar as condições em que se encontra e detectar os impactos ambientais que ela apresenta, além de indicar a capacidade de um corpo d’água natural manter a vida aquática.  Ele origina-se de duas fontes: do oxigênio da atmosfera dissolvido diretamente e no oxigênio que provém da fotossíntese de plantas aquáticas.

O que produz o aumento ou diminuição oxigênio dissolvido na água é a quantidade resíduos orgânicos presentes nela, pois eles são decompostos por microorganismos que se utilizam do oxigênio na respiração. Assim, quanto maior a carga de matéria orgânica, maior o número de microorganismos decompositores e, consequentemente, maior o consumo de oxigênio. Esses resíduos orgânicos podem ser encontrados, por exemplo, no esgoto doméstico, em certos resíduos industriais, entre outros, que muitas vezes são despejados nos nossos rios e lagos.

Para que haja a quantidade exata de Oxigênio Dissolvido na água é necessário levar em consideração alguns aspectos que influenciam seu índice como a Temperatura da água, velocidade e tipo de fluxo, Altitude, Quantidade de matéria em suspensão, Quantidade de nutrientes, Profundidade, Arborização e principalmente a Poluição, que tem levado à morte da vida aquática em nossos rios.

O equipamento usado pelos profissionais para fazer o controle do oxigênio na água é o Medidor de Oxigênio Dissolvido, que pode ser utilizado em tratamento de água e esgoto, laboratórios, mineração, aquários e controle de qualidade. Conheça esses equipamentos clicando AQUI

Além do controle do oxigênio vale ressaltar a importância de se preservar nossos lagos e rios, evitando o uso incorreto de suas águas e vigiando para sua conservação.