Compartilhe esse conteúdo:

Na rotina laboratorial, quando há necessidade de se separar sólidos dispersos em líquidos ou gases, a filtração é uma forte aliada na técnica para que esse resultado seja possível. Considerada um processo físico de separação de misturas heterogêneas do tipo sólido-líquido ou gás-sólido, a filtração, como o próprio nome já diz, envolve a utilização de um material poroso (filtro) para reter as partículas sólidas, separando-as do líquido ou do gás. A substância que passa pelo filtro recebe o nome de “filtrado”.

Quais são os tipos de filtração?

Há dois deles, ou seja, a filtração simples ou filtração comum e a filtração a vácuo. Vamos aos detalhes:

Filtração Simples ou Filtração Comum

Neste tipo de filtração utiliza-se, geralmente, um papel filtro para laboratório, dobrado ao meio duas vezes. O papel pregueado aumenta a área de superfície de filtração, acelerando o processo – mas é válido ressaltar que o papel pode ser dobrado mais vezes para deixa-lo ainda mais pregueado. Abaixo é possível visualizar uma imagem representativa.

O papel filtro para laboratório  já dobrado é então posicionado em um funil de vidro e a mistura é transferida para que a filtração ocorra. Pode-se utilizar um bastão de vidro para auxílio nesta etapa. As partículas sólidas ficarão retidas no papel e o líquido passará pelos poros e será recolhido em outro recipiente posicionado logo abaixo, conforme mostrado na imagem:

Como escolher um papel filtro para o laboratório?

O papel filtro pode ser: papel filtro quantitativo ou papel filtro qualitativo.

O papel filtro quantitativo as cinzas já são determinadas, quando fazemos o processo de filtração, já sabemos quanto devemos descontar do papel filtro. Existem 3 tipos de papel filtro quantitativo: papel filtro quantitativo faixa azul, papel filtro quantitativo faixa branca, papel filtro quantitativo faixa preta.

Faixa preta (rápida – mole) – textura aberta e mole que filtra rapidamente. Usos: Ácido Silícico, Sulfetos precipitados por meio ácido ou alcalino, Hidróxidos dos grupos ferrosos, Sulfeto de Cobre, análise de ferro em aço carbono…

Faixa branca ( média ) – Usos:precipitação de Sulfetos, Carbonatos de terras alcalinas, Sulfeto de chumbo, Fosfatos de magnésio e amônio, Oxalato de cálcio precipitado a quente, fosfomolibdato de amônio, Sulfeto de Ferro…

Faixa azul ( lento – denso) – Usos: precipitados finos, Fosfatos de magnésio e amônio, Sulfeto de Zinco em meio ácido, Sulfato de Bário, precipitados finos de Oxalato de Cálcio…

 

 

Sistema de Filtração à Vácuo

 

Já no  sistema de filtração à vácuo ou como alguns autores denominam de filtração a pressão reduzida, a diferença é que há presença de vácuo dentro do recipiente que coleta a solução filtrada, acelerando o processo pelo fato da sucção ocorrida. Não é necessário dobrar o papel filtro neste caso, pois o mesmo é posicionado de maneira original (forma de círculo) dentro de um funil de Buchner. O funil é posicionado sobre um kitassato com uma borracha que impede a entrada de ar dentro do mesmo, reduzindo a pressão dentro do kitassato. Uma mangueira acoplada à saída lateral deste é então conectada a uma bomba de vácuo para que assim, no momento da filtração, a diferença de pressão leve à sucção da parte líquida e deixa o sólido no papel filtro praticamente seco. O sistema de filtração á vácuo é composto por: kitassato com junta esmerilhada, funil de buchner e pinça.

Confira a imagem:

Há casos onde a mangueira acoplada ao kitassato é conectada em uma trompa de água (ao invés de uma bomba de vácuo), produzindo o mesmo efeito permitindo a filtração – imagem a seguir.

Mas e a Filtração por Carvão Ativado?

É considerada uma filtração simples, porém utiliza-se o carvão ativado – este atua como adsorvente, retirando as impurezas de um meio sem interferir em sua composição. Na superfície do carvão ativado, há diversos poros que proporcionam uma grande área efetiva, e as partículas são retidas no interior desses poros. Como o carvão ativado tem capacidade de “coletar” até mesmo gases, a amostra sai desta etapa livre de odores. Considerado 100 vezes mais poroso que o carvão comum, a figura abaixo representa a diferença na estrutura física.

 

Qualquer dúvida técnica sobre os equipamentos contidos no portfólio SPLABOR e cotações, entre em contato com o Departamento de Vendas ([email protected]) que encontra-se à disposição.

Participe do nosso Blog, aceitamos sugestões de temas, comentários, críticas. Envie seu comentário.

AVISO DE DIREITOS AUTORAIS: Todo o material deste blog, sendo proibida toda e qualquer forma de plágio, cópia, reprodução ou qualquer outra forma de uso.