Compartilhe esse conteúdo:

Em resposta a pergunta acima as análises físico-químicas podem ser aplicadas a diversos segmentos, utilizando várias metodologias. Vamos citar alguns segmentos e exemplificar o quão amplo pode ser o campo de atuação.

As análises físico-químicas têm a finalidade de determinar, quantificar ou qualificar os componentes específicos de um produto, a exemplo de determinar a composição centesimal e fornecer informações sobre a composição físico-química.
As análises físico químicas podem ser aplicadas em diversos segmentos: água, carboidratos, mel, carnes, peixes, sais minerais, medicamentos, cerveja, leite, queijo…

A análise de água pode ser mais simples, apenas com alguns parâmetros físico-químicos, como pH, cor e turbidez e alguns ensaios microbiológicos como coliformes totais e coliformes fecais.
Alguns exemplos dos ensaios que contemplam a análise físico química de água potável e que são realizados pela são: pH, cor aparente e cor verdadeira, turbidez, alcalinidades (bicarbonato, hidróxidos e carbonatos),cloretos, metais (ferro, manganês, alumínio, zinco e etc.)
Recomenda-se também, além de fazer a análise físico química de água potável, realizar as análises microbiológicas, para verificar a contaminação por bactérias, por exemplo.

Utilizando um phmetro, medidor de cor da água, turbidímetro, medidor de cloro livre e total é possível a realização dessas análises.

 

A análise Microbiológica de Alimentos é fundamental para garantir boas condições para o consumo humano. Toda e qualquer Industria alimentícia, restaurantes, lanchonetes, hospitais e outros, tem a obrigatoriedade de realizar análises microbiológicas para assegurar a qualidade do alimento que é oferecido a população em função da saúde de seus clientes.

 

Shelf-Life chamada também Vida de prateleira de um alimento ou medicamento ou cosmético  entre outros produtos é o tempo em que ele pode ser conservado sob determinadas condições de temperatura, umidade relativa, luz e outros, sofrendo pequenas, mas bem estabelecidas alterações que são, até certo ponto, consideradas aceitáveis pelo fabricante, pelo consumidor e pela legislação alimentar vigente” (Reações de Transformação e Vida de Prateleira de Alimentos Processados).

A Shelf Life determina as  suas características físicas  e microbiológicas. Quando um produto apresenta sinais de deterioração ou se um agente microbiológico é encontrado, o produto não está mais apto para venda.  Ao longo de sua vida útil, os alimentos  e medicamentos perdem suas características primordiais e físico-químicas e, em condições impróprias de armazenamento, essas degradações podem ser aceleradas, diminuindo a segurança para o consumo.

Com o intuito de analisar a vida útil de um produto a Câmara climática para laboratório simula as condições de temperatura e umidade para a realização dessas análises.

 

Em relação as carnes e produtos de origem animal as análises físico-químicas são de total importância.

Análise de umidade

A quantidade de água livre em um alimento corresponde à umidade que esse alimento possui. Os alimentos considerados perecíveis apresentam alto teor de água e os considerados não perecíveis apresentam baixo teor de água.

A medida da umidade corresponde à água removida em razão do emprego de aquecimento direto da amostra a 105°C. O resíduo obtido no aquecimento direto é chamado de resíduo seco. As amostras de alimentos que se decompõem ou iniciam transformações na temperatura de 105°C devem ser aquecidas em estufas a vácuo, em que se reduz a pressão e se mantém a temperatura de 70°C. Em alimentos de composição padronizada, certas medidas físicas, como índice de refração, densidade, e outras, fornecem uma avaliação da umidade de modo rápido, mediante o uso de tabelas ou gráficos já estabelecidos.

Durante o aquecimento da amostra podem ocorrer perdas de alguns minerais entretanto, estas perdas são mínimas, por isso, esta técnica pode ser aplicada.

O Analisador de Umidade ou Balança Determinadora de Umidade realiza a função de determinar a quantidade de água no produto a ser analisado: mel, biscoitos, medicamentos…

 

Determinação de gordura

A determinação da gordura ou lipídio é realizada pelo método de Soxhlet, que se baseia na extração intermitente da fração lipídica por meio de um solvente orgânico. Após extração e remoção do solvente o resíduo obtido é pesado. A fração lipídica de um alimento é constituída por triglicerídeos, ácidos graxos livres, fosfolipídios e vitaminas lipossolúveis. O solvente orgânico utilizado é o éter etílico ou éter de petróleo. Em alguns casos pode ser utilizada uma mistura destes dois solventes.

Determinação de proteína

O método de determinação da proteína é considerado indireto porque ele determina o teor de nitrogênio na amostra. Mas, nesta determinação o nitrogênio analisado pode ser considerado proveniente da molécula de proteína, uma vez que, dentre os demais compostos de um alimento, é a proteína que tem como característica possuir nitrogênio em sua molécula.

A maior parte das proteínas tem 16% de nitrogênio; portanto, o fator para converter o nitrogênio em proteína é 100/16 ou 6,25.

O método utilizado é o de Kjeldahl, nesse método o nitrogênio é transformado em amônio; depois por destilação é separado dos demais compostos e por titulação é quantificado.

destilador de nitrogênio kjeldahl é o aparelho para laboratório indicado para a realização das análises.

 

Qualquer dúvida técnica sobre os equipamentos contidos no portfólio SPLABOR e cotações, entre em contato com o Departamento de Vendas ([email protected]) que encontra-se à disposição.

Participe do nosso Blog, aceitamos sugestões de temas, comentários, críticas. Envie seu comentário.

AVISO DE DIREITOS AUTORAIS: Todo o material deste blog, sendo proibida toda e qualquer forma de plágio, cópia, reprodução ou qualquer outra forma de uso.

Fonte: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/nutricao/analises-fisico-quimicas-em-produtos-carneos/40949