Compartilhe esse conteúdo:

Muitos são os riscos que um profissional de laboratório químico corre ao lidar com amostras, reagentes e demais substâncias no momento de procedimentos e análises. Por isso, há necessidade de utilizar equipamentos de laboratório que reduzam ou eliminem esses riscos, visando a segurança do usuárioCapelas de Fluxo Laminar e Cabine de Segurança Biológica são alguns dos equipamentos laboratoriais empregados para proteção de usuário e/ou de amostras durante procedimentos.

A escolha entre os tipos destes dois equipamentos para laboratórios deve ser feita baseada na necessidade a ser suprida, pois cada um tem sua especificação e modo de trabalho.

Pensando nisso, a SPLABOR Equipamentos para Laboratórios irá orientar sobre a diferença de um equipamento para o outro, explanando sobre a aplicação de cada um.

Capela de Fluxo Laminar possui o sistema que promove a recirculação de 100% do ar. Sua utilização é indicada para procedimentos que requerem apenas a proteção dos produtos manipulados. Este equipamento não protege o usuário. Assim como, a Capela para PCR ou  Cabine PCR, que só impedem a contaminação da amostra.

Seu sistema de ventilação age de forma a impedir a contaminação da amostra manipulada, porém, não possui métodos que impeçam a saída de ar da Capela de Fluxo Laminar para Laboratorio, devido a isso, a proteção não é estendida ao usuário.

Este equipamento para laboratório é fornecido pela SPLABOR com a opção de dois modelos: FLH (sistema de fluxo laminar horizontal) e FLV (sistema de fluxo laminar vertical). A principal diferença entre estes modelos é o direcionamento do ar para recirculação. Enquanto o modelo de Capela de Fluxo Laminar Horizontal possui o Filtro HEPA na parede localizada ao fundo da Capela, direcionando o ar filtrado de forma horizontal, o modelo de Capela de Fluxo Laminar Vertical possui o Filtro HEPA instalado na parte superior do equipamento, direcionando para baixo e de forma vertical, o ar filtrado.

Cabines de Segurança Biológica ou Capelas de Segurança Biológica, como também é conhecida, promovem a proteção tanto das amostras quanto dos usuários e do Meio Ambiente. Isso acontece por ela trabalhar com a pressão negativa, evitando a fuga do ar contaminado para o ambiente.

Os modelos disponíveis deste equipamento são classificados por meio de três tipos:

Capela de Segurança Biológica Classe II A1: este modelo fornece a recirculação de 70% do ar, e renovação de 30%, exaurindo-os já filtrados para dentro do laboratório.

Capela de Segurança Biológica de Classe II A2: composto por dois Filtros HEPA, este modelo promove a recirculação de 70% do ar e a renovação de 30% do ar, utilizando para cada método um filtro diferente. O ar filtrado é exaurido é direcionado para fora do laboratório através de um sistema de duto.

Capela de Segurança Biológica Classe II B2: promove 100% da renovação do ar. Com dois Filtros HEPA, utiliza um para o insuflamento e o outro para a exaustão, o ar é emitido para fora do laboratório através de um sistema de duto. Além de gerar 100% de renovação do ar, mais 30% de ar formam uma cortina protetora na parte frontal do equipamento.

Este modelo é indicado para trabalhos onde sejam manipulados, por exemplo, vírus HIV e de gripe aviária, que fornecem riscos para a saúde do usuário e ao meio ambiente.

Qualquer dúvida técnica sobre os equipamentos contidos no portfólio SPLABOR e cotações, entre em contato com o Departamento de Vendas ([email protected]) que encontra-se à disposição.

Participe do nosso Blog, aceitamos sugestões de temas, comentários, críticas. Envie seu comentário.

AVISO DE DIREITOS AUTORAIS: Todo o material deste blog, sendo proibida toda e qualquer forma de plágio, cópia, reprodução ou qualquer outra forma de uso.